sexta-feira, 1 de julho de 2011

PERIGO! CUIDADO COM UM VÍDEO INTITULADO "KIT GAY"! Poderia se chamar "KIT HOMOFÓBICO"!...


Cuidado! Há um vídeo - CERTAMENTE fabricado por algum grupo político-partidário mal intencionado - rodando em páginas e e-mails de bons e BEM intencionados amigos.

Gostaria de comentar o perigo que ele representa (tanto que o vejo aceito ingenuamente por muitas pessoas de bem).

Vou escrever uma primeira versão 'no impulso', provavelmente cheia de erros, e mais tarde volto para as correções, etc...

Entre coisas piores, venenosamente colocadas aqui e ali ‘em passant’, o tal vídeo propõe claramente um horrível retrocesso: voltarmos a considerar as questões íntimas/sexuais/de Gênero como 'menores' que as étnico-sociais-econômicas no debate sobre os caminhas da sociedade civil, e seu diálogo com as estruturas Políticas, Econômicas e Culturais.

ALÉM de dizer claramente que 'ser gay não é normal', (que é o discurso do fascistóide do Bolsonaro ou da ignorantíssima Miriam Rios), ele se exibe insidioso, melífluo, sedutor como todo psicopata o faria; esse vídeo é nauseante...e perigoso.

Nos anos 60/70/80/90 já andávamos 20 passos para trás a cada três que andávamos para frente em diversas conquistas, exatamente porque os Partidos Políticos se infiltraram nos movimentos Feminista, dos Negros, dos Índios, dos LGBT, e os ESVASIARAM, os VAMPIRIZARAM, fazendo com que as pessoas, que haviam se organizado AUTONOMAMENTE em torno de suas próprias questões, se FRAGMENTASSEM e se separassem, iludidos por questões de poder partidário!

Não podemos permitir que ESSE retrocesso volte a acontecer! O chamado (maldosamente) de 'kit gay' é um material que foi criticado em primeiro lugar pelo próprio grupo LGBT!

ELES são os primeiros a querer um material de melhor qualidade, e não aquilo, que certamente foi feito por algum grupo espertinho e apressado com fome de verba pública!

Onde está a tal "segregação aos heterossexuais" que o vídeo (com uma cara-de-pau inacreditável) propõe existir?... Piada para boi dormir, de mal gosto, sedutora, melíflua típica de manipulação de grupelhos políticos...

ELA NÃO EXISTE!!!...

Usar/manipular uma coisa que só existe na fantasia homofóbica de quem tem poder decisório (ou há alguma dúvida de que o PODER DECISÓRIO VIGENTE tem um PERFIL não só HETEROSSEXUAL, mas TAMBÉM HOMOFÓBICO?...)

DEMOCRACIA É AQUELE LUGAR ONDE TODAS AS DIFERENÇAS SÃO ACOLHIDAS; e se tem diferença que NÃO é AINDA acolhida é a LGBT, e NÃO a heterossexual!...

Quem me conhece pessoalmente, sabe que sou (por mero acaso de escolhas inconscientes e históricas que se mesclaram dentro de mim quando eu era verdinha, verdinha) heterossexual.

Mas brigo comigo mesma todos os dias para 'limar' minhas próprias possíveis fantasias homofóbicas, caretas, e MESMO fascistas ou racistas!

Pessoas como nós se tornam preocupadas com as causas justas porque aprendem a brigar consigo mesmas, mas não somos 'puros ou perfeitos' de nascimento!

Não bastassem nossas próprias pequenas/médias/grandes maldades, o mundo branco, heterossexual, rico, etc. que nos rodeia nos educa muito mal!

Nós não nascemos 'grandes'; PODEMOS (ou não) brigar com nós mesmos para nos tornarmos MAIORES E MELHORES; só isso.

De manipulação por grupos políticos eu 'manjo', garanto a vocês; sou mais velha que a maioria aqui, e estava lá, no infeliz momento em que os Partidos vampirizaram os movimentos autônomos da sociedade civil...

Adoraria ser hacker por um minutinho só, para sondar quem bancou e divulgou esse vídeo para incautos, ingênuos, e entusiamados; entendo perfeitamente que ele 'grude' em pessoas mega bem intencionadas como muitos amigos; gruda no entusiasmo de cada um por buscar o bem e a justiça.

Um monte de bons cidadãos alemães foram engambelados por expedientes semelhantes a esse, exatamente assim, há poucos anos atrás: esse vídeo seria o orgulho de Göebells!...

A mim, que era amiga de Herbert Daniel, não pega não...

Não quero gente nem com estrela amarela, nem com triangulo rosa nem com nenhuma palhaçada semelhante dessas no peito mais, não!

O poema do Brecht lembra que a gente, de deixar uma coisa aqui, mais outra ali passar, acreditando que 'só vai atingir o vizinho', de repente se vê aprisionado também, caminhando igualmente para o mesmo abatedouro do mundo assassino das singularidades, careta, egocêntrico, circunspecto, e morto em vida: tiranicamente patriarcal.

HORROR! HORROR!...

8 comentários:

Ricardo Duarte disse...

Christina,

Eu vi o vídeo e, de fato, é lamentável. O típico homofóbico disfarçado de "protetor da família, da moral e dos bons costumes" - essa mentalidade tacanha que impera no Brasil há muito tempo. Um país que vive da contínua reposição do mesmo (política, histórica e socialmente), de forma alguma há de aceitar a diferença.

Parabéns pelo post e pelos três anos do blog!

Abraços,
Ricardo

Dona Sra. Urtigão disse...

VOCE VIU ??? E não adianta voce argumentar com seus amigos, parece que ficaram cegos e surdos, iludidos pelas falácias apresentadas. Ou será que passam a exprimir verdadeiramente seus preconceitos escondidos pelo medo do politicamente incorreto ? Trispe e pobre humanidade, que opta pelo retrocesso.
um abraço. Divulgue muito esse seu texto, faça um vlog, tem que ser combatido ou pelo menos desmascarado um tal trabalho.

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Ricardo, querido! Há quanto tempo!... OBRIGADA! Tentei entrar na sua nova página, mas ainda não consegui fazer o login; como você sabe, sou péssima nessas coisas, mas já já consigo. Saudades das suas resenhas sensacionais! Acho que agora bati meu record; estou lendo 5 livros ao mesmo tempo...rsrsrsrs E adorando todos... BEIJOS!

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Tania, acho que é "a homofobia oculta nossa" mesmo, como o 'racismo oculto nosso', etc. Incrível tanta gente se deixar engambelar tão facilmente... Talvez as pessoas andem lendo pouco, vendo pouca Arte, sei lá, exercitando pouco o próprio senso crítico... BEIJOS!

Curiosa disse...

christina, muito bem colocado o tema ... há que se desmascarar esse absurdo ... adorei todo o seu blog ... postagens muito interessantes .... abraço!

LA STREGA disse...

Tempos das quedas das máscaras. Os preconceitos não estão mais sendo escondidos, porque as vozes da Justiça começaram a falar mais alto. Lado bom: começamos a conhecer quem é quem, a hipocrisia deve cair. Lado ruim: o ódio vai elever-se primeiro, antes de cessar. Veja exemplo abominável de um pai abraço do filho, espancados por serem "confundidos" com gays. Não se pode mais demonstrar afeto publicamente? Seja gay, amigo, filho, pai, tudo é motivo pra pancadaria geral. Coitados desses infelizes que não tiveram e não têm afeto nem de mãe, nem de pai, nem namorado, nem de namorada, nem de amigo, nem de ninguém. O que resta? Atacar. Mas há o muro da Lei que deve barrar esses frustrados homofóbicos, muitos, inclusive, gays covardes que não se assumem e, revoltados, distrobuem ódios aos que tem coragem de AMAR. Desabafo. Cansaço. Basta dessa ignorância. Beijo no coração.

Cia. de Lendas disse...

Tenho dúvidas de que o poder decisório vigente tenha perfil heterossexual e homofóbico. Posso dizer o contrário, por experiência própria, de ambientes onde o poder decisório é executado, com o mesmo caráter sectário, por homossexuais, ou homoeróticos, ou homoafetivos ou qualquer que seja a denominação hoje considerada adequada. Instâncias em que tais figuras negociam a utilização do aparelho público ou privado de acordo com determinados favores, da mesmíssima maneira que sempre se apregoou a respeito do estereótipo machista-heterossexual-homofóbico e tal. Ou seja, para se dar bem aqui, tem que "dar" alguma coisa. Só pra citar um pequeno exemplo, o próprio Gilberto Braga afirmou, em entrevista de um ou dois anos atrás, que "os homossexuais são uma confraria, uma maçonaria, eles se protegem e se favorecem uns aos outros" (cito de memória).

Não tenho certeza se existe uma segregação do heterossexual - mas é um fato que a postura heterossexual hoje é, em número não reduzido de ambientes, sinônimo de conservadorismo, caretice e inadequação, para dizer o mínimo. Frequentemente o heterossexual masculino é confundido com os extremos do machismo. Basta o cara ser hetero para ter grandes chances de ser um covarde que bate na mulher. O simples fato de eu emitir esta opinião pode me colocar na posição de homofóbico. De qualquer maneira, o discurso heterossexual, particularmente o heterossexual masculino, é hoje um dos mais abandonados, articulado apenas (e infelizmente) por idiotas evangélicos e/ou neo-nazistas que falam em nome da moral, quando seria tão mais verdadeiro falar em nome do desejo.

Não sou contra a lei da homofobia - ao contrário, se me passarem um abaixo-assinado, assino sem problema. Acho apenas que é mais um espaço para entulho burocrático, quando a impunidade é de fato o grande problema. Já existem leis que prevêem a igualdade de tratamento para todos com base na constituição, assim como agressão é crime e ponto final. Então, o cara que bate no outro porque o outro é gay tem que ir em cana e ponto final. O problema é que as leis não são cumpridas nessa merda de país - seja em relação aos gays, seja em relação a qualquer outro grupo. Assim, aquele deputado paranaense que matou um monte de gente porque dirigia bêbado continua na rua - assim com a gangue que bateu em pai e filho porque "achamos que eram gays". Do mesmo modo os patricinhos cariocas que, há uns dois anos atrás, espancaram uma mulher na rua porque "pensamos que era uma prostituta". Pra citar só alguns casos escabrosos. Nosso problema não é a homofobia - é o Poder Legislativo, em primeiro lugar, e o Judiciário em segundo.

Agora, é muito bonito aparecer em palanques ou programas de televisão e fazer discurso politicamente correto. Assim como o nicho das "minorias" é otimo para distribuir privilégios - e, rapidamente, eu queria saber porque os gays ainda são considerados minoria se, de acordo com todas as estatísticas, eles movimentam um dos mercados de consumo mais rentáveis de todo o planeta. Mas deixa pra lá. É o reinado do politicamente correto. Demétrio Magnoli tem demonstrado (particularmente através de seu último livro, "Uma gota de sangue") o quanto as políticas afirmativas, no Brasil, servem principalmente para favorecer grupos do terceiro setor que se dizem "representantes" destes segmentos. É uma festa. É claro que o cara tá tomando porrada de tudo que é lado. E olha que ele nem é gay.

Anônimo disse...

Na boa. Muitos se travestem de protetores da família e dos bons costumes. Na prática existe um certo prazer nazista (ou sei lá o que), em controlar a situação em benefício próprio.
A hipócrisia impera.