quinta-feira, 10 de setembro de 2009

ENQUANTO ESCREVO UM TEXTO NOVO - 2 - (Breve desabafo)


PARA HOMENS COM ÓDIOS TORTOS, A FÚRIA DAS MÃES

Em muitos textos anteriores me reportei à questão da natalidade/Hannah Arendt: TODAS AS CRIANÇAS DO MUNDO VIVAS OU POR NASCER SÃO NOSSA RESPONSABILIDADE.

Frequentemente isso parece se aplicar apenas às crianças pobres, abandonadas, desvalidas, abusadas, etc...

Do alto dos 60 anos que completarei em novembro, MUUUITA gente já "virou criança" aos meus olhos, claro.

Alguns rapazes do tal programa CQC têm a idade de meus filhos.
Alguns (como meu marido é o comediante Paulo Carvalho do 'Comédia em Pé') eu tive o prazer de conhecer.
Meu filho mais novo - aliás - é da área de comunicações; identificação inevitável, imediata...

Não sou de assistir muita TV, não; mas assisti ao de segunda feira, porque soube que a comediante Carol Zoccoli, de quem gosto muito (para quem não sabe, além de gente finíssima, ela é filósofa!) está concorrendo a entrar para a equipe do programa (o tal do 'oitavo CQC'), e estou torcendo por ela.

No meio do programa, um dos rapazes estava numa cerimônia governamental qualquer, e chamou José Genuino.
Só CHAMOU; não fez piada alguma (e precisaria?...)

O olhar de ódio envenenado deste Sr. direcionado ao rapaz foi tão gratuitamente obsceno, que me horrorizei...
Mau-olhado; péssimo olhado.
Ele só olhou, ODIOU, e saiu batido; como fazem os "espertinhos" que sabem ter culpa-no-cartório, projetam nos outros suas próprias dívidas, e fogem (covardes, claro).

O que é aquele... 'ser-mais-ou-menos-vivo' para olhar daquele jeito para quem quer que seja?...

A primeira coisa que veio na minha cabeça, é que poderia ser um de meus filhos ali, recebendo aquele olhar nojento, daquela pessoa torpe e peçonhenta, daquele criminoso, em liberdade apenas por ser acobertado por conchavos ridículos e doentios.

A segunda, foi "...se eu vou num aeroporto amanhã e dou de cara com esse criminoso cara-de-pau, eu enfio a mão na cara dele, ele nem vai entender porquê, e a violenta para todos os efeitos serei eu!..."

A fúria das mães emergiu imediatamente, como já aconteceu em váááááárias outras situações. Porque eu deveria pretender apresentar 'atestado-de-santa' para alguém?... Não o tenho, nem quero.
Assumo-o, e não fujo, não!...

Ele também tem (teve?) mãe; com ela, certamente eu conseguiria me entender; quem sabe ele levasse até um puxão de orelhas depois que eu e ela papeássemos?...

Tenho MUITA piedade pelo período em que ele foi preso, torturado, etc, etc, e até gratidão por ele no passado ter pegado em armas contra a tirania...tirania da corrupção que ele parece curiosamente ter adotado depois (cada um 'pira' com o que pode)...

Nada disso ('piração' alguma) justifica 'o conjunto-da-obra' que veio depois, e MUITO MENOS aquele olhar que talvez tenha passado despercebido da maioria, mas EU VI; e me horrorizou de tão mau.

Acredito que vou deixar muitos de vocês - visitantes - por sua vez horrorizados comigo, pensando:
"...Ué! Ela também 'pirou'? Ficou frívola de repente?!... Que motivo mais 'besta' para ter fúrias maternas despertadas!..."

EM TEMPO: Também não sou vacinada contra a frivolidade; frivolidade com inteligência costuma dar um sambinha bem-bom, aliás... Nem contra pirações...

Desabafo porque foi apenas um momento recente, que acredito ser um exemplo tão bom quanto outros "mais nobres" (?!), daquilo que é você começar a entender que todo jovem é um pouco "seu filho" também, conhecendo-o ou não (o 'olhado em questão' eu NÃO conheço ainda!).

Sempre resta a esperança que TODOS vão - um dia - começar a pensar o mesmo com relação a todos os filhos de-todo-o-mundo; ao SEU filho inclusive, na sua falta ou ausência.

Ah, quem me dera eu conseguisse cuidar de cada criança com quem cruzo nas ruas... Nem todo momento é frívolo!
Que meu trabalho me leve a fazer o plausível por algumas...
Que minhas reflexões me levem (e levem outros) a começar a pensar em todos os filhos como se seus/nossos fossem, nas ruas, nos lares, nos palácios, nas instituições, no Planeta.

AGUARDEM O PRÓXIMO TEXTO SOBRE MASCULINIDADES!

Ilustração: Anatol Wladyslaw - Cabeça n. 3 - 1967

20 comentários:

Fran disse...

Oiee amada!
Tava sumida neh?! Senti saudades de seus comentários :)
Você merece todos os selos possíveis. Já te add no twitter e tô ansiosa pelo novo texto *-*

Beeijos!

LA STREGA disse...

Você é demais! Bjs.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Chris,

José Genuíno participou da guerrilha do Araguaia.

Um tenente do Exército, com seus vinte e poucos anos, foi, desarmado, negociar com os guerrilheiros um jeito de se entregarem.

O pessoal do Genuíno pegou o tenente, que era praticamente um adolescente (não tinha nem perto de 30 anos) e estava desarmado, e resolveu assassinar o rapaz.

Para não fazer barulho, não deram tiro no tenente. Colocaram a cabeça do moço dentro de um saco, e esmigalharam seu crânio a golpes de pau.

Talvez isso explique o olhar insensível de José Genuíno.


paz e bem
marcos

Fran disse...

Amada o nome do blog mudou sim. Agora é 'Faz de conta'

Beeijos!

Josadac Santos disse...

NÃO GOSTEI DO SEU TEXTO. E NÃO FOI PORQUE VC FALOU DE JOSÉ GENUINO. ACHEI-O SEM UM TELOS. AH... EU TABÉM ESTAVA TORCENDO POR CAROL. ELA É UMA GRACINHA. MAS SE DEU MUITO MAU NO TESTE

Ricardo Duarte disse...

Christina,
Se por acaso você encontrar o "referido político" por aí, não deixe de nos contar como foi...

:D

Beijos

Teca Barcellos disse...

Desde que meu filho nasceu, experimento essa fúria e me enterneço cotemplando filhos,principalmente os que têm a idade do meu. Isso desde que era bebê, hoje são os rapazes de 20 anos. Outro dia quase levei um ônibus pra delegacia pra defender um estudante humilhado pelo cobrador.

Teca Barcellos disse...

Desde que meu filho nasceu, experimento essa fúria e me enterneço cotemplando filhos,principalmente os que têm a idade do meu. Isso desde que era bebê, hoje são os rapazes de 20 anos. Outro dia quase levei um ônibus pra delegacia pra defender um estudante humilhado pelo cobrador.

Dona Sra. Urtigão disse...

Ah! Sei do que voce está falando! Já vi desses olhares, e entendo mais ainda a furia materna quando um dos " bebês" é agredido ou apenas ameaçado. Por coisas assim, não falo mais com minha irmã, filha de mamãe.
Revolte-se e solte a furia!
( ops, óieuaqui metida a dar conselhos)

rm disse...

Rss

Pau no Genoíno!

(e as mães não podem ter culpa de tudo que fazem os filhos...)

Lunna disse...

Eu sempre acho que a gente aquela tendência estranha de tentar justificar os atos alheios. Eu não tento. Sério. Não tento mesmo.
Acho que a gente comete erros sim, mas por pior que estes sejam, é preciso ter a bravura de assumir. Errar e nada fazer é muito fácil. Errar e ter a coragem de se expor é o que realmente dificulta os atos dos seres ditos humanos.
Enfim, como vc pouco assisto televisão, mas quando ligo é para me iludir com filmes, seriados, até novelas em sua última semana de exibição porque pra mim, televisão não é meio de educação ou informação, é entretenimento sim e ninguém vai mudar esse meu pensamento e geralmente é um excelente sonífero. rs
Beijos

Tobias Silser disse...

Olá moça!
Acabei de descobrir teu blog! Excelentes palavras!! Com certeza estarei te seguindo!
Bjão.. excelente semana!

Paulo Carvalho disse...

Gostei muito.Sempre achei o povo de esquerda muito sem humor. Jamais entendi a razão. Na minha cabeça de jovem (quando era ligado à APML uma das organizações que deram origem ao PT)jamais consegui entender aquela gravidade 24 horas. Se era para mudar o mundo, por que não faz-lo por meio da alegria? Hoje tudo mudou muito. Os caras de cara trancada ainda dão as caras por ai. Ainda sizudos e com os rabos presos. É muito triste e muito maçante.

Monica Loureiro disse...

Adorei principalmente a última frase...Voce parece ser uma pessoa muito bacana...

Sammyra Santana disse...

realmente... ah se todos tivesse mães/pães/pais pra cuidar assim...
não existiriam mau-olhados e o mundos eria bem mais leve...
e que venha o novo texto!

Udi disse...

ué! cadê o comentário que eu havia deixado?!

Valdemir Reis disse...

Olá Christina.

Volto aqui para matar a saudade. Sempre que o tempo permite aproveito para visitar e me atualizar. Confesso que estou ausente face às atividades, mas como diz o poeta; “amigo é coisa para se guardar debaixo de sete chaves, assim falava a canção...” Aproveito para compartilhar o poema a seguir;
"Viva a Vida"...
“Por que Viver é Exalar Pura Energia!
É Devolver Sorrisos.
É Acreditar que o Bem Sempre Vence o Mal.
É Conquistar Amigos.
É Ser Sempre Leal e Fiel.
É Transformar a Dor em Alegria.
É Ter Amor no Coração.
É Correr Atrás dos Sonhos, da Inspiração, e dos Projetos
Buscando Sempre o Entendimento das Coisas.
Viver é Ser Sempre da Paz.
É Orar em Agradecimento pelas Dádivas Recebidas.
É Buscar o que Te Faz Bem, e aos Outros Também.
Viver é Lembrar que o Sorriso é o Idioma Universal.
É Lembrar que o Final não Existe.
É Saber que Tudo é um Eterno Recomeço.
E Ver a Vida Sempre com o Amor no Coração.” A. d.
Votos de um ótimo fim de semana. Muita paz, saúde e proteção. Brilhe sempre! Fique com Deus. Sucesso...

Valdemir Reis

helder carneiro disse...

Cris, quem cria a nós homens são as mulheres mães, avós e irmãs...essa reproduçào do modelo patriarcal é trazida pela mulher, na maioria das vezes cabeça do casal.
Durma-se com um barulho desses...
Saudades do matriarcado onde não havia casamento, nem propriedade privada e a promiscuidade era feita em cima de árvores ou dentro de cavernas...
Bjs!!!!!!!!!!

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Meu querido:

"Criar", "educar", "identificar", são coisas que não tem - necessariamente - a ver com "quem estava mais próximo".

Emocionalmente o OLHAR BUSCA a identificação (fazendo um resumo tosco de todo um processo complexo).

Tocando especialmente os meninos, são os homens mais próximos que vão "ensinar O QUE É SER UM HOMEM"!

Por mais que a mulher mais próxima da criança "eduque", etc., O QUE É SER UM HOMEM" é uma lição IMPOSSÍVEL para ela...
Ela É uma mulher, e crianças são só pequenas, mas de 'burrinhas' não têm nada...

BJS!

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

ESCREVI ISSO EM SET 2009.
SAI NA Folha de SP em DEZ 2009:

"Durante a pré-estreia do filme "Lula, o Filho do Brasil", em São Bernardo do Campo, o repórter Oscar Filho, do programa "CQC", da Band, tentou entrevistar o deputado federal José Genoino (PT-SP), que reagiu dizendo que a atração "só faz violência contra as pessoas" e afastando o repórter com o cotovelo. Genoino falou à coluna:

FOLHA - O que aconteceu?
JOSÉ GENOINO - Eu não dou entrevista pra programa que faz da política humor, desgraça e perseguição às pessoas.
FOLHA - O senhor falou que eles foram violentos.
GENOINO - É, violência no sentido de atacar as pessoas, de fazer chacota. Eles querem ganhar audiência ridicularizando as pessoas. Isso é um desserviço, eu não me presto a isso. É um direito meu. A liberdade de expressão é pra falar ou não falar. E, como eles insistem, é uma violência. Mas eu respeito eles, eles têm liberdade pra fazer o que quiserem na Câmara.
FOLHA - O senhor deu uma cotovelada, um empurrão no repórter.
GENOINO - Não, não dei empurrão nenhum. Não teve nada. Eu só disse: "Vocês estão praticando uma violência". Violência não é só física, violência também é psicológica, né?
FOLHA - Acontece com frequência?
GENOINO - Toda semana. Eles me procuram. Eu digo que não quero falar, e eles ficam insistindo. Eu não quero falar com eles, é uma decisão que tomei. Vários deputados que falaram comigo hoje em Brasília disseram: "Você agiu certo". Porque todos os deputados se sentem... É constrangido, é perseguido, é piada, é chacota... É um absurdo. O cara não quer falar, aí eles botam a tua imagem, botam uma caricatura.
FOLHA - Colocaram alguma caricatura ligada ao senhor?
GENOINO - Eu não sei. Eu não vejo aquele programa. Não gosto, não vejo, não quero aparecer. Fazer audiência da desgraça, feito urubu, não dá, né? Eu tava lá no filme [sobre Lula] conversando com os amigos, aí os caras botam o microfone. Se você quer fazer uma entrevista, você fala: "Ô, deputado, quando você terminar a conversa aí, vamos bater um papo". Eu não quero briga. Não quero intriga. Eu só quero preservar o meu direito de não falar com eles.

Marcelo Tas, apresentador do programa, diz que já cometeu "até a loucura de votar no Genoino" e que o "CQC" não vai desistir de entrevistá-lo. "Ele tem o direito de não falar conosco, e nós temos o direito de continuar tentando falar com ele. Só queria dizer para o Genoino que isso é um sinal de amor: a gente jamais procura alguém por quem não tenhamos um tipo de afeto, ainda que seja pequenininho." Para Tas, "o Genoino sempre foi o Silvio Santos do PT, não podia ver um microfone. Depois do mensalão, virou a Greta Garbo".

QUE TAL?...Não estou tão louca assim, certo?...